domingo, 14 de junho de 2020

BRUNO BATISTA, PRÉ-CANDIDATO A PREFEITURA DE ANGICOS MOSTRA ÍNDICE DE GOVERNANÇA E SUGERE REFORMA ADMINISTRATIVA

A imagem pode conter: 1 pessoa
Foto/Facebook: Bruno Batista


"Estamos em ano de eleição, devemos avaliar todos os candidatos com nome a disposição do eleitor, é preciso prestar atenção a formação profissional".
 Por: Bruno Batista

Bruno Batista é administrador por formação, Pós Graduado em Gestão Pública, ex-secretário de finanças de Angicos, ex-assessor do deputado federal Betinho Rosado e pré-candidato a prefeitura de Angicos, ele mostra como está o indicador de governança do município de Angicos.

O indicador é o IGM (Índice de Governança Municipal), ele foi lançado em 2016 pelo CFA (Conselho Federal de Administração), a última medição de todos os municípios do Brasil foi 2018, observe a posição de Angicos com relação aos outros municípios da região central do RN, Angicos uma cidade polo.

1º) Lugar Lages👉🏽 IGM 7,55
2º) Lugar Afonso 👉🏽 IGM 6,59
3º) Lugar Santana👉🏽IGM 6,31
4º) Lugar FP Fernando Pedrosa 👉🏽IGM 6,00
5º) Lugar PA Pedro Avelino👉🏽IGM 5,23
6º) Lugar ANGICOS👉🏽IGM 5,20
7º) Lugar PP Pedra Preta👉🏽IGM 4,63

Observe que entre 7 municípios, Angicos foi a penúltima colocação ficando em 6º lugar, o índice mede saúde, educação, gestão fiscal, habitação, recursos humanos, transparência, segurança dentre outras.

SERÁ QUE A ATUAL GESTÃO VAI BEM? Será que Angicos vai bem se comparando aos outros municípios? Angicos é uma cidade polo, precisa ser melhor administrada. Era para o município está em 1º lugar dessa lista.

O pré-candidato sugere que Angicos deveria extinguir algumas secretarias e alguns cargos de contrato e de comissão para enxugar a máquina pública e em seguida criar a secretaria de planejamento para cuidar de projetos estruturantes e de indicadores. Na visão de Bruno Batista não há necessidade de duas secretarias com a mesma finalidade, como é o caso da tesouraria e finanças. Nesse caso, fica a secretaria de finanças, e, exclui a tesouraria criada na gestão de Clemenceau Alves (2001-2004).

Nenhum comentário: