terça-feira, 15 de outubro de 2019

A VERDADE DE SELDA ARAUJO DIANTE DA NOTA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO/ANGICOS.


Eu, Selda Araújo Bezerra da Costa, professora concursada do município de Angicos, casada e mãe, venho através do meu direito e respeito ao Direito Público, informar pela presente Nota, publicitar e esclarecer os fatos da verdade:

. Por que expus minha vida funcional e profissional nas redes sociais?

O meu Facebook é algo que me pertence e nele exponho as conveniências que achar necessárias, também pensei em ajudar a outros profissionais que estão sendo vítimas da mesma perseguição igualmente a mim e, dessa forma, motivá-los a buscar os seus direitos que vez por outra, estão sendo subtraídos e/ou violados por uma Gestão que utiliza a parcialidade e a ilegalidade para “praticar o mau”.

. Porque minha solicitação é LEGAL e CORRETA, ao contrário do que diz a Secretaria Municipal de Administração de Angicos?

De acordo com o Plano de Carreira e Remuneração dos Profissionais do Magistério da Educação Básica Pública, Título II, capitulo I, Artigo 6° Parágrafo III – “progressão através de mudança de classe por promoções periódicas por tempo de serviço ou por avaliação de desempenho, intercaladas a cada (03) três anos”.

. Porque tive atuação em sala de aula e ocupei funções no magistério?

Iniciei minha vida profissional como supervisora do Centro Infantil, depois lecionei na Escola Municipal Espedito Alves à jovens e adultos. Antes de ser acometida por um CA de mama, estava em sala de aula na Comunidade do Rio Velho, Zona Rural do Município. Estive à frente da Central do Trabalhador, gerenciando programas de capacitação profissional para jovens e adultos.

. Por que estou à disposição da Câmara Municipal?

Por não suportar tamanha perseguição por parte do senhor Prefeito, quando estava em tratamento de um câncer e continuo sendo acompanhada (mesmo tendo direito a ficar pela perícia), tentei voltar às atividades, mas o primeiro ato desse Prefeito, foi retirar meu direito (letras). Logo após, tentei trabalhar, mas fiquei sem função devido à falta de condições amplas de que precisava para tal.

Por esses motivos, resolvi aceitar o convite para prestar meus serviços à Câmara Municipal, onde estou atualmente.

Diante de todos os fatos havidos, estou buscando “os meus direitos” através dos meios legais.

Nenhum comentário: