Seguidores

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

SUSPEITO DE DEGOLAR AUXILIAR DE FARMÁCIA NA ZONA NORTE É PRESO EM NATAL

Jodson Cândido, de 38 anos, foi encontrado morto em dezembro do ano passado dentro de casa, no bairro Nossa Senhora da Apresentação.

Jodson Cândido foi encontrado morto dentro da própria casa, na Zona Norte de Natal — Foto: Arquivo PessoalJodson Cândido foi encontrado morto dentro da própria casa, na Zona Norte de Natal — Foto: Arquivo Pessoal

A Polícia Civil prendeu na manhã desta sexta-feira (22) um homem de 25 anos suspeito de ter assassinado a facadas e degolado o auxiliar de farmácia Jodson da Silva Cândido, de 38 anos, dentro da própria casa em dezembro do ano passado, no bairro Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte de Natal.

Segundo as investigações, o suspeito conhecia Jodson desde outubro de 2018, quando começou a trabalhar na residência dele. “Pelo que apuramos, o suspeito tinha muita convivência com a vítima, mas não sabemos o que o levou a cometer esse crime bárbaro com requintes de crueldade”, explicou o delegado Rysklyft Factory, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

"Todas as provas colhidas, todos os testemunhos que nós colhemos levaram a conclusão de que ele foi o verdadeiro autor do fato", concluiu Factory.

As investigações apontaram que o suspeito também tem registros policiais de crimes de violência doméstica contra a ex-companheira.

O crime

Jodson da Silva Cândido foi morto no dia 5 de dezembro, mas o corpo dele foi encontrado apenas no dia seguinte, quando o irmão entrou na casa. Na noite do crime, vizinhos disseram ter ouvido gritos. Uma televisão e alguns objetos da casa foram levados. O imóvel, no entanto, não tinha sinais de arrombamento.

Sobre o cadáver, os peritos do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) encontraram borra de café, que pode ter sido usada para inibir o odor que sairia do corpo quando entrasse em decomposição.
A vítima era auxiliar de farmácia em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Meses antes, ele havia aberto uma padaria ao lado da casa onde morava, no conjunto Parque dos Coqueiros, no bairro de Nossa Senhora da Apresentação.



DECISÃO TIRA FUNDAÇÃO QUE CUIDA DE MENORES INFRATORES NO RN DE INTERDIÇÃO JUDICIAL APÓS 5 ANOS

Fundase foi interditada em março de 2014 a pedido do Ministério Público por problemas estruturais nos centros e superlotação. Órgão retorna à administração do governo.

Por G1 RN
Fundase volta à administração do governo — Foto: DivulgaçãoFundase volta à administração do governo — Foto: Divulgação

A Fundação de Atendimento Socioeducativo do Estado do Rio Grande do Norte (Fundase) vai retornar à administração do Governo do Estado após cinco anos de intervenção judicial. 

A decisão foi tomada pela Comissão Interinstitucional de Acompanhamento da Intervenção Judicial, que é formada por Ministério Público (MPRN), Poder Judiciário e governo. A previsão é que a decisão seja homologada nesta sexta-feira (22) com a assinatura do juiz Sérgio Maia, da 2ª Vara da Infância e da Juventude de Natal.

A Fundase é o órgão responsável por administrar os Centros Educacionais (Ceducs) e Centros Integrados de Atendimento aos Adolescentes Acusados de Atos Infracionais (Ciads), que acolhem os menores de idade infratores no Rio Grande do Norte.

A fundação estava interditada desde março de 2014 por um pedido de Tutela de Urgência do Ministério Público Estadual encaminhado à Justiça. Alguns dos motivos para a interdição foram as estruturas físicas precárias dos Ceducs e Ciads, superlotação - que impedia entrada de novos infratores, além da liberação de outros -, frota veicular sucateada e déficit de recursos humanos.

Para poder retornar à administração estadual, algumas mudanças foram necessárias, como o aumento de vagas nos centros de 70 para 347, número de 2019, além da realização de processos seletivos para a contratação de servidores temporários. Além disso, houve a aprovação e implantação do plano de cargos, carreira e remuneração dos servidores.

A Fundase elaborou também um projeto político pedagógico, um regimento interno e um plano de segurança das unidades socioeducativas, além de criar ainda a portaria da central de vagas. Outra ação foi estabelecer parcerias e convênios com órgãos para a realização de cursos profissionalizantes, atividades culturais e extracurriculares nas rotinas dos menores infratores.

A fundação garante que atualmente possui R$ 1, 4 milhão em restos a pagar e R$ 2 milhões em conta, ainda não liquidado, aguardando o orçamento para 2019.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

DETRAN LEILOA 208 VEÍCULOS NO RIO GRANDE DO NORTE

Visitação aos lotes pode ser feita nesta quinta (21) e sexta-feira (22).

Por G1 RN
Veículos apreendidos pelo Detran/RN vão a leilão na segunda-feira (25) — Foto: Detran/DivulgaçãoVeículos apreendidos pelo Detran/RN vão a leilão na segunda-feira (25) — Foto: Detran/Divulgação

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) leiloa, na próxima segunda-feira (25), 208 lotes de veículos que foram apreendidos nas ações de fiscalização do órgão. Os lotes estão retidos no pátio do órgão no bairro das Quintas, na antiga garagem da viação Guanabara, Zona Oeste de Natal.
Os interessados podem visitar o local nesta quinta-feira (21) e sexta-feira (22), das 8h às 14h. Os lotes compreendem veículos que vão continuar em circulação e outros destinados exclusivamente à sucata.

O leilão acontece na segunda-feira (25), a partir das 10h, no Rifóles Praia Hotel, Salão Almirante, localizado na Rua Cel. Inácio Vale, 8847, Praia de Ponta Negra, na Via Costeira. Os interessados em participar do leilão podem se cadastrar bastando comparecer ao local do evento levando a documentação exigida, sendo pessoal física, deve apresentar RG, CPF e comprovante de residência, e sendo pessoa jurídica, o contrato social e CNPJ da empresa.

A participação também pode ser feita de forma online, bastando que o interessado tenha seu cadastro validado antes de iniciar o leilão, devendo ainda obedecer às exigências cadastrais especificadas no site. Os lotes que vão a leilão variam de valores com lances iniciais que partem de R$ 50,00 até R$ 10mil.

Todos os lotes postos a leilão estão a mais de 60 dias retidos no pátio do Detran e de acordo com a lei 13.160, os veículos apreendidos que não forem reclamados em um prazo de 60 dias contados a partir do recolhimento podem ser objeto de leilão.


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

HOMEM JOGA ÁGUA FERVENDO NAS PARTES ÍNTIMAS DE MULHER POR NÃO ACEITAR FIM DE CASAMENTO NO AC

Mulher permanece internada em hospital de Rio Branco sem previsão de alta. Suspeito foi indiciado por lesão corporal e liberado pela polícia.


Por Tácita Muniz, G1 AC — Rio Branco
Mulher está internada com queimaduras de terceiro grau e sem previsão de alta médica — Foto: Arquivo pessoal Mulher está internada com queimaduras de terceiro grau e sem previsão de alta médica — Foto: Arquivo pessoal

A cuidadora de idosos Agerlândia Miranda, de 25 anos, teve queimaduras de terceiro grau nas pernas e partes íntimas causadas pelo ex-marido dela, Jessé Nogueira. O caso ocorreu no último dia 12 no município de Sena Madureira, interior do Acre.

A vítima foi transferida para a capital acreana e está internada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) sem previsão de alta. O G1 não conseguiu contato com Nogueira até a publicação desta reportagem.

Agerlândia conta que durante uma briga, o ex-companheiro jogou água fervendo em cima dela. Ainda muito abalada, ela diz que a agressão foi motivada por ciúmes e porque Nogueira não aceitava o fim do relacionamento.

Como o ex não trabalhava, Agerlândia arcava com todos os gastos da casa. Um dia antes do crime, ela decidiu dar um ponto final na relação porque as brigas eram constantes entre o casal.
“Um dia antes disse que queria terminar, expliquei meus motivos e disse que para pagar as contas que tínhamos arranjaria um trabalho à noite. Fui à uma lanchonete trabalhar como atendente e na volta parei na casa de um amigo. Ele foi até lá, perguntou que horas eu voltaria para casa e disse que eu pagaria ele”, conta a mulher.

A vítima tem três filhas, de 10, 9 e 2 anos. As duas mais velhas são de outro relacionamento. Com medo do que ele poderia fazer com as meninas, ela voltou para casa após a ameaça.

Na terça-feira (12), Agerlândia seguiu a rotina normalmente. Saiu para trabalhar e perto do almoço foi surpreendida pela ligação da filha mais velha informando que Nogueira havia saído com a bebê de dois anos e que as outras meninas não teriam o que almoçar. Ela, então, voltou para casa.

No mesmo dia, o ex-marido mandou mensagem para a irmã da vítima pedindo que ela saísse de casa.

“Eu disse que não sairia de casa, porque ele [ex] sempre vivia às minhas custas e eu disse que ele que tinha que sair. Ele disse que queria que eu morresse e quando eu estava na porta do quarto, ele me empurrou, veio para cima de mim, segurei no pescoço dele e minhas filhas começaram a gritar desesperadas”, conta.

Casal estava junto há três anos e Agerlândia havia decidido terminar o casamento — Foto: Arquivo pessoal
Casal estava junto há três anos e Agerlândia havia decidido terminar o casamento — Foto: Arquivo pessoal

‘Escolheu onde ia queimar’
Toda a briga aconteceu na frente das crianças, que pediam ajuda sem sucesso. Ao chegar na casa, Agerlândia disse que viu a leiteira no fogo, mas não imaginava que seria para machucá-la.

“Fiquei sem saber qual das minhas filhas eu ia acudir. Até que vi ele se aproximando com a leiteira fumaçando, me afastei e coloquei a minha mão para tentar me defender, mas ele escolheu o local para jogar a água fervendo. Ele jogou, tentei me defender de novo e ele jogou mais água”, relembra emocionada.

As filhas da cuidadora entraram em desespero e Nogueira conseguiu fugir, enquanto ela e as duas crianças seguiam para o banheiro e jogavam água fria para tentar amenizar as queimaduras, que atingiram, principalmente, as partes íntimas de Agerlândia.

“Eu não aguentava mais de dor. Fui tomar banho e o pior de tudo é saber que isso foi na frente das minhas filhas, que ficavam dizendo que eu ia morrer”, lamenta.
‘Foi covarde’

As filhas da vítima conseguiram ligar para o avô, Aldemir Miranda, de 45 anos, que estava em uma oficina próxima de onde tudo aconteceu. Ele chegou em seguida e conseguiu acionar a ambulância para ajudar Agerlândia.
Revoltado, ele diz que espera que Nogueira seja preso e pague pelo que fez com a filha dele. “Uma pessoa ver a filha queimada, na situação que eu vi, se tremendo toda, o couro caindo. Não é todo pai que aguenta ver o que vi. O que ele fez foi uma covardia. Aquilo não é coisa que se faça com uma mulher”, desabafa Miranda.
Mulher diz que o suspeito escolheu local onde iria jogar água — Foto: Arquivo pessoal
Mulher diz que o suspeito escolheu local onde iria jogar água — Foto: Arquivo pessoal

Água em formigueiro

O caso foi registrado na Delegacia de Sena Madureira e o inquérito está sendo presidido pelo delegado Marcos Frank. Ele conta que o Jessé Nogueira se apresentou na delegacia da cidade três dias após ter cometido o crime e alegou que foi um acidente.

“Ele disse que estava com uma panela de água quente na mão, ia jogar no formigueiro e ela foi bater nele e, por acidente, foi se defender e a água caiu em cima dela”, conta o delegado.

A vítima e o pai contestam essa versão e alegam que o crime foi premeditado. Os dois estavam juntos há 3 anos e, segundo Agerlândia, o suspeito não quis aceitar o fim. Ela disse ainda que já havia sido agredida por Nogueira quando estava grávida da filha mais nova e não teve coragem de contar para a família.

“Acredito que ele fez de propósito, porque um dia antes eu tinha falado que não ia dar mais certo e ele disse que eu ia pagar ele. Poderia ter jogado a água em qualquer outro canto, mas ele escolheu minhas partes íntimas", afirma a vítima.

Lesão corporal

O suspeito foi indiciado por lesão corporal e, após ser ouvido, foi liberado. Porém, o delegado disse que as investigações continuam. “Se apresentou com o advogado e tratamos o caso como lesão corporal. Ele foi ouvido e liberado, mas o inquérito não terminou. Pelas fotos que vimos, a situação da vítima foi muito grave”, explica.

Para tentar amenizar o trauma, Agerlândia também recebe acompanhamento psicológico no hospital em Rio Branco. “Eu quero que ele seja preso e pague pelo que fez. Ele foi um covarde”, diz a vítima.



OPERAÇÃO LAVAT: À JUSTIÇA FEDERAL DO RN, EX-VICE-PRESIDENTE DA CAIXA CONFIRMA ESQUEMA DE PROPINA

Audiências começaram nesta terça-feira (19), na 14ª Vara da Justiça Federal, em Natal. Fábio Cleto, no entanto, negou envolvimento do ex-ministro do Turismo Henrique Alves na fraude.

Por G1 RN

Audiências da operação Lavat começaram nesta terça-feira (19) — Foto: Mariana Rocha/Inter TV
Audiências da operação Lavat começaram nesta terça-feira (19) — Foto: Mariana Rocha/Inter TV

Começaram nesta terça-feira (19), na 14ª Vara da Justiça Federal (JFRN), em Natal, as audiências da operação Lavat. Em um dos depoimentos prestados, o ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) Fábio Cleto confirmou a existência de um esquema de cobrança de propina em troca de ajuda na aprovação de financiamentos pelo banco. Ele, no entanto, negou o envolvimento do ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves.

A operação Lavat é um desdobramento da operação Manus, que investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o ex-ministro Henrique Eduardo Alves e o ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba.

Nesta terça-feira foram ouvidas duas testemunhas. Além do ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto, também prestou depoimento Ricardo Saud, ex-executivo da JBS. Os dois, que foram elencados como testemunhas de acusação pelo Ministério Público Federal, falaram por videoconferência de São Paulo.

Ricardo Saud depôs de forma rápida. O ex-executivo disse que não operava esse esquema na JBS e apontou Joesley Batista como homem que estava a frente. Ele também disse não saber dizer nada sobre o envolvimento de Henrique Alves e Eduardo Cunha na fraude.

"A acusação é de que existia uma espécie de esquema dentro da Caixa Econômica Federal para desvio de dinheiro e que parte desse dinheiro teria sido destinado à campanha de Henrique Alves em 2014. Por isso que terminou que essa parte da investigação veio para cá e foi distribuída para a 14ª Vara", explicou o juiz federal Francisco Eduardo Guimarães.

Segundo a apuração, o esquema se baseava em fraudar licitações em prefeituras do interior do Rio Grande do Norte. O dinheiro desviado teria sido supostamente usado na campanha de Henrique Alves para Governo do Estado em 2014.

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves, réu no processo, assistiu ao depoimento acompanhado dos advogados. Outros acusados no processo, que eram assessores do ex-ministro, José Geral Moura, Aluísio Dutra, além do publicitário Arturo Arruda, também acompanharam os depoimentos. O ex-deputado Eduardo Cunha, que também é réu, assistiu aos depoimentos de Curitiba.
Nos dias 26 e 28 de março serão ouvidas as 45 testemunhas de defesa. Entre elas, está o ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba e será ouvido por videoconferência. O ex-presidente foi citado pela defesa de Eduardo Cunha, que é réu na Operação Lavat.
Em nota, a defesa de Henrique Alves disse que os depoimentos comprovam a inocência dele, já que as testemunhas o isentaram de participação na fraude.

Operação Lavat

A Polícia Federal prendeu três pessoas em 26 de outubro de 2017 em Natal na operação Lavat, que investiga lavagem de dinheiro no Rio Grande do Norte. Um dos detidos na época era funcionário do Ministério do Turismo. Os outros dois presos eram assessores particulares do ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves. A ação é um desdobramento da operação Manus, investigação que levou Henrique Eduardo Alves à prisão em junho de 2017. Hoje, ele aguarda o julgamento em liberdade há 10 meses por decisão conjunta da primeira instância no RN e segunda instância no Tribunal Regional Federal de Brasília.

Operação Manus

A operação Manus, que foi deflagrada em junho de 2017, investiga corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção do estádio Arena das Dunas, em Natal. Segundo a Polícia Federal, a Manus foi um desdobramento da operação Lava Jato.

Na ocasião, foi preso o ex-ministro Henrique Alves e um novo mandado de prisão foi cumprido contra o ex-deputado Eduardo Cunha. Ambos são do PMDB e foram presidentes da Câmara dos Deputados. Alves foi ministro do Turismo nos governos Dilma Rousseff e Michel Temer.

Durante a análise do material apreendido da Manus foram identificadas fortes evidências quanto à atuação de outras pessoas pertencentes à organização criminosa, que continuou praticando lavagem de dinheiro e ocultação de valores para o chefe do grupo. Foi identificado também um esquema criminoso que fraudava licitações em diversos municípios do estado visando obter contratos públicos que, somados, alcançam cerca de R$ 5,5 milhões, para alimentar a campanha ao governo do estado de 2014.


PRF PRENDE QUATRO HOMENS COM CARRO ROUBADO E ARMAS NA GRANDE NATAL

Prisão aconteceu na madrugada desta quarta (20), na BR-101, em São José de Mipibú.

Por G1 RN

Quatro homens foram presos pela PRF com armas e um carro roubado na Grande Natal — Foto: PRF/Divulgação
Quatro homens foram presos pela PRF com armas e um carro roubado na Grande Natal — Foto: PRF/Divulgação


Quatro homens foram presos pela Polícia Rodoviária Federal na madrugada desta quarta-feira, na BR-101, em São José de Mipibú. Eles estavam com armas e um carro roubado e não obedeceram à ordem de parar em uma ronda.

De acordo com a PRF, o grupo já havia assaltado uma lanchonete em Canguaretama e uma caminhonete em São Gonçalo do Amarante. No roubo da caminhonete duas mulheres foram feitas reféns e liberadas pouco tempo depois.

Na madrugada desta quarta, por volta de 1h, o veículo roubado foi visto pela PRF que fazia uma ronda na BR-101. Os policiais deram ordem de parada, mas os criminosos não obedeceram e tentaram fugir. Houve troca de tiros e o condutor perdeu o controle do veículo e bateu em um muro.

Quatro homens foram presos e o motorista foi socorrido ao hospital após ficar preso às ferragens.

Além do veículo recuperado, foram encontrados com os ocupantes do veículo quatro revólveres calibre 38, uma pistola calibre 380 e um colete balístico. Todas as armas estavam carregadas e alimentadas.

CRIMINOSOS SÃO PRESOS APÓS ROUBOS EM SÉRIE NA ZONA SUL DE NATAL

Três homens armados fizeram arrastão em uma casa em Potilândia, roubaram um carro e tentaram roubar um segundo veículo em Lagoa Nova.

Por G1 RN
Criminosos fizeram um arrastão em um casa, roubaram um carro e tentaram roubar um segundo veículo na Zona Sul de Natal. — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

Criminosos fizeram um arrastão em um casa, roubaram um carro e tentaram roubar um segundo veículo na Zona Sul de Natal. — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi
Três assaltantes foram presos na manhã desta quarta-feira (20) após um arrastão em uma residência, o roubo de um carro e a tentativa de roubo de outro veículo na Zona Sul de Natal.

De acordo com a Polícia Militar, o trio fez um arrastão em uma casa no bairro Potilândia. Eles colocaram televisores, computadores e outros objetos dentro de um carro da família e fugiram. Nas proximidades do Sebrae, os criminosos abandonaram o carro com os objetos roubados e seguiram a pé pela Avenida Lima e Silva onde abordaram uma família que vinha em outro veículo.

A motorista do carro e um dos passageiros conseguiram sair do veículo, mas uma senhora ficou no banco traseiro. "O carro estava andando quando eles nos abordaram. Minha irmã não conseguiu sair porque um dos bandidos já estava dentro do carro em cima dela", disse a motorista que pediu para não ser identificada.

Os três assaltantes entraram no carro, mas antes de dar partida foram surpreendidos por policiais militares que atendiam a uma ocorrência de acidente nas proximidades.
Houve troca de tiros, um dos bandidos foi atingido e socorrido para o hospital. Os outros dois criminosos foram presos.

BOLSONARO MENTIU AO NEGAR CONVERSAS COM BEBIANNO, MOSTRAM ÁUDIOS


Agência Estado

A demissão do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Gustavo Bebianno pelo presidente Jair Bolsonaro foi precedida por uma discussão longa por meio do aplicativo Whatsapp, com troca de acusações entre eles, relacionadas à TV Globo, a uma viagem à Amazônia, revelada pelo Estado, e ao caso das candidatas laranjas do PSL, partido de ambos.

Os áudios, datados de 12 de fevereiro, terça-feira passada, foram publicados hoje pelo site da revista Veja e desmentem a versão do presidente, segundo quem eles não haviam conversado naquela data. Bolsonaro disse em entrevista à Record TV que era mentira que eles houvessem mantido um diálogo antes da alta hospitalar. O Estado procurou o Palácio do Planalto para comentar o caso e aguarda resposta.

As mensagens dão ideia do conjunto de razões para a demissão do ex-ministro, que, segundo a Presidência da República, foram de “foro íntimo” de Bolsonaro. O presidente é chamado por Bebianno de “capitão” ao longo do diálogo.

Na conversa, Bolsonaro trata a TV Globo como “inimiga” e manda o agora ex-ministro cancelar uma audiência com um representante da direção da empresa, no Palácio do Planalto. Segundo a revista, o presidente encaminhou a Bebianno a mensagem terça-feira, dia 12, com a agenda do ministro. Ele receberia o vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet Camargo, e respondeu: “Algo contra, capitão?”.

“Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora… Inimigo passivo, sim. Agora… Trazer o inimigo para dentro de casa é outra história. Pô, cê tem que ter essa visão, pelo amor de Deus, cara. Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma porque cê tá trazendo o maior cara que me ferrou – antes, durante, agora e após a campanha – para dentro de casa. Me desculpa. Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final.”

O presidente também relata restrições a uma viagem à Região Norte, que era articulada, enquanto ele ainda estava internado em recuperação de uma cirurgia, com os ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

O presidente dispara: “Gustavo, uma pergunta: “Jair Bolsonaro decidiu enviar para a Amazônia”? Não tô entendendo. Quem tá patrocinando essa ida para a Amazônia? Quem tá sendo o cabeça dessa viagem à Amazônia?”

Em seguida, Bolsonaro relata ter conversado com os demais ministros – que seriam contra a missão amazônica – e mostra preocupação em ser cobrado posteriormente por resultados.

“Ô, Bebianno. Essa missão não vai ser realizada. Conversei com o Ricardo Salles. Ele tava chateado que tinha muita coisa para fazer e está entendendo como missão minha. Conversei com a Damares. A mesma coisa. Agora: eu não quero que vocês viajem porque… Vocês criam a expectativa de uma obra. Daí vai ficar o povo todo me cobrando. Isso pode ser feito quando nós acharmos que vai ter recurso, o orçamento é nosso, vai ser aprovado etc. Então essa viagem não se realizará, tá OK?!”

Em outro mensagem, o presidente revela preocupação com a investigação da suspeita de desvio de dinheiro público no PSL, por meio de candidatas que teriam simulado participação na campanha.

“Querem empurrar essa batata quente desse dinheiro lá pra candidata em Pernambuco pro meu colo, aí não vai dar certo. Aí é desonestidade e falta de caráter”, afirma Bolsonaro. “A Polícia Federal vai entrar no circuito, já entrou no circuito, pra apurar a verdade. Tudo bem, vamos ver daí… Quem deve paga, tá certo? Eu sei que você é dessa linha minha aí.”

Bebianno tenta explicar sua participação na distribuição dos recursos públicos ao partido, que presidiu ao longo da campanha de 2018. O ex-ministro sustenta que a responsabilidade por supostas irregularidades nas candidaturas em Pernambuco seria do deputado Luciano Bivar (PSL-PE), que comanda o diretório local. Bebianno afirma que o presidente está “envenenado”.

“Em relação a isso, capitão, também acho que a coisa está… Não está clara. A minha tarefa como presidente interino nacional foi cuidar da sua campanha. A prestação de contas que me competia foi aprovada com louvor, é… Agora, cada Estado fez a sua chapa. Em nenhum partido, capitão, a nacional é responsável pelas chapas estaduais. O senhor sabe disso melhor do que eu. E, no nosso caso, quando eu assumi o PSL, houve uma grande dificuldade na escolha dos presidentes de cada Estado, porque nós não sabíamos quem era quem. É… Cada chapa foi montada pela sua estadual. No caso de Pernambuco, pelo Bivar, logicamente. Se o Bivar escolheu candidata laranja, é um problema dele, político. E é um problema legal dela explicar o que ela fez com o dinheiro. Da minha parte, eu só repassei o dinheiro que me foi solicitado por escrito. Eu tenho tudo registrado por escrito. Então é ótimo que a Polícia Federal esteja, é ótimo que investigue, é ótimo que apure, é ótimo que puna os responsáveis. Eu não tenho nada a ver com isso. É… Depois a gente conversa pessoalmente, capitão, tá? Eu tô vendo que o senhor está bem envenenado. Mas tudo bem, a minha consciência está tranquila, o meu papel foi limpo, continua sendo. E tomara que a polícia chegue mesmo à constatação do que foi feito, mas eu não tenho nada a ver com isso. O Luciano Bivar que é responsável lá pela chapa dele.”

Segundo a revista, os áudios comprovam que Bebianno de fato manteve contato com o presidente por “três vezes”, enquanto ele ainda estava internado, no dia 12, terça-feira passada, conforme o ministro relatara ao jornal O Globo. O ministro negava haver uma crise no governo por causa da revelação, pela Folha de S. Paulo, de suspeitas envolvendo candidatas laranjas do PSL. “Não existe crise nenhuma. Só hoje (terça-feira) falei três vezes com o presidente”, disse, então, Bebianno a O Globo.

A informação foi o estopim para que Carlos Bolsonaro, filho do presidente, viesse a público pelo Twitter acusar o ministro, de quem desconfiava, de mentir. O presidente endossou a reação do filho e negou que ele estivesse incitando a demissão de Bebianno.

“Carlos incitando a saída é mais uma mentira. Você conhece muito bem a imprensa, melhor do que eu. Agora: você não falou comigo nenhuma vez no dia de ontem. Ele esteve comigo 24 horas por dia. Então não está mentindo, nada, nem está perseguindo ninguém”, afirmou Bolsonaro.

Bebianno tentou contemporizar, magoado com o filho do presidente. Bolsonaro, porém, rejeita a informação de que falar por Whatsapp seria considerado uma conversa e diz que não vai mais tratar com o ex-ministro, a quem acusava ainda de plantar notas na imprensa.

O ex-ministro reage: “Capitão, há várias formas de se falar. Nós trocamos mensagens ontem três vezes ao longo do dia, capitão. Falamos da questão do institucional do Globo. Falamos da questão da viagem. Falamos por escrito, capitão. Qual a relevância disso, capitão? Capitão, as coisas precisam ser analisadas de outra forma. Tira isso do lado pessoal. Ele não pode atacar um ministro dessa forma. Nem a mim nem a ninguém, capitão. Isso está errado. Por que esse ódio? Qual a relevância disso? Vir a público me chamar de mentiroso? Eu só fiz o bem, capitão. Eu só fiz o bem até aqui. Eu só estive do seu lado, o senhor sabe disso. Será que o senhor vai permitir que eu seja agredido dessa forma? Isso não está certo, não, capitão. Desculpe.”

O ex-ministro ainda envia outra mensagem em que sustenta “pregar a paz”: “Capitão, eu só prego a paz, o tempo inteiro. O tempo inteiro eu peço para a gente parar de bater nas pessoas. O tempo inteiro eu tento estabelecer uma boa relação com todo mundo. Minha relação é maravilhosa com todos os generais. O senhor se lembra que, no início, eu não podia participar daquelas reuniões de quartas-feiras, porque os generais teriam restrições contra mim? Eu não entendia que restrições eram aquelas, se eles nem me conheciam. O senhor hoje pergunte para eles qual o conceito que eles têm a meu respeito, sabe, capitão? Eu sou uma pessoa limpa, correta. Infelizmente não sou eu que faço esse rebuliço, que crio essa crise. Eu não falo nada em público. Muito menos agrido ninguém em público, sabe, capitão? Então quando eu recebo esse tipo de coisa, depois de um post desse, é realmente muito desagradável. Inverta, capitão. Imagine se eu chamasse alguém de mentiroso em público. Eu não sou mentiroso. Ontem eu falei com o senhor três vezes, sim. Falamos pelo WhatsApp. O que é que tem demais? Não falamos nada demais. A relevância disso… Tanto assunto grave para a gente tratar. Tantos problemas. Eu tento proteger o senhor o tempo inteiro. Por esse tipo de ataque? Por que esse ódio? O que é que eu fiz de errado, meu Deus?”

Portal Agora RN;

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

POR MÊS, QUATRO PESSOAS TRANS REGISTRAM NOME SOCIAL NA CARTEIRA DE IDENTIDADE NO RN

Dados do Itep mostram que 35 travestis e transexuais fizeram a alteração no documento de junho de 2018 até fevereiro deste ano no estado.

Por Leonardo Erys, G1 RN

População poderá solicitar emissão de carteira de identidade — Foto: Victor Ribeiro/Seplag/Divulgação/ASNPopulação poderá solicitar emissão de carteira de identidade — Foto: Victor Ribeiro/Seplag/Divulgação/ASN


Ao todo, 35 pessoas trans registraram seus nomes sociais em suas carteiras de identidade no Rio Grande do Norte desde junho de 2018 até o início deste mês de fevereiro. Os dados são do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) e dão conta das alterações desde que houve a regulamentação para a implantação do nome social no RG no estado.
Os números do Itep apontam que, em média, pelo menos quatro pessoas trans por mês fazem a mudança para o nome social na carteira identidade nestes primeiros meses.
O serviço atualmente é oferecido apenas na sede do Itep no bairro da Ribeira, na Zona Leste da cidade. É preciso, antes, apenas agendar a ida no site da Central do Cidadão, segundo explicou a assessoria do Instituto. Para a mudança é necessário levar:

Certidão de nascimento ou casamento original
2 fotos 3x4 (com fundo branco e recente)
Comprovante de Residência
CPF (opcional) e PIS (opcional)

A 1ª via desse novo registro é gratuita e sai no próprio dia agendado ou no seguinte. A 2ª via do serviço custa R$ 25 e a 3ª via sai por R$ 35.
A professora de redes de computadores do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) do campus de Ceará-Mirim, Eliza Cavalcante, de 31 anos, mudou não só a carteira de identidade, mas todos os seus registros.

Ela fez todos os processos em junho de 2018, no primeiro mês após a autorização judicial no estado para a mudança no cartório. Primeiro, ela alterou a certidão de nascimento e recebeu a nova em cinco dias. Depois, mudou o RG e o CPF.

Eliza Cavalcante é professora e mudou todos os seus registros em 2018 — Foto: Arquivo pessoalEliza Cavalcante é professora e mudou todos os seus registros em 2018 — Foto: Arquivo pessoal
Ela explica que o uso do seu nome social, que agora está registrado em cartório, fez com que vários procedimentos se tornassem menos burocráticos. "Fazer essa mudança é extremamente importante, a vida se torna bem menos burocrática. É muito inconveniente e constrangedor para uma pessoa trans estar em uma situação que precisa apresentar os documentos e mostrar um documento que não condiz com quem ela é", relatou Eliza.

"Depois que eu mudei todos os meus documentos a minha qualidade de vida melhorou significativamente. Com certeza a facilitação desse processo é um marco para a comunidade trans", frisou a professora.

Em 28 de maio do ano passado, a corregedoria geral de justiça do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) assinou o provimento 175/2018, que autoriza aos transexuais a alterarem seu nome e gênero diretamente no registro civil, independente de processo judicial. Com a medida, a Justiça estadual se tornou a sexta no país a regulamentar o procedimento para mudança do nome em cartório.


No início deste ano, a Secretaria de Educação do Rio Grande do Norte publicou no Diário Oficial do Estado que alunos travestis e transexuais podem solicitar o uso do nome social nas suas instituições de ensino.

MULHER É MORTA A FACADAS PELO EX-COMPANHEIRO EM OURO VERDE DO OESTE

Segundo a polícia, depois do crime, suspeito fugiu; vítima aguardava um pedido de medida protetiva contra o ex-marido.

Por G1 PR e RPC Cascavel

Uma mulher de 37 anos foi morta a facadas pelo ex-companheiro, de 41 anos, em Ouro Verde do Oeste, no oeste do Paraná.


Segundo a polícia, a mulher foi morta na rua, na noite de segunda-feira (18), depois de ter ido à casa do suspeito, que fugiu logo depois do crime.


Ela tinha registrado um boletim de ocorrência contra o ex-marido e aguardava a determinação de uma medida protetiva contra ele.


O caso vem sendo acompanhado pela Delegacia da Mulher de Toledo.


Buscas foram feitas pela região, mas até a última atualização desta reportagem o suspeito não havia sido localizado ou preso.


Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

PREÇO MÉDIO DA GASOLINA NAS BOMBAS TEM MENOR VALOR DESDE JANEIRO DE 2018, DIZ ANP

Valor da gasolina recuou pela 17ª semana consecutiva; levantamento semanal também apurou queda no preço do diesel e do etanol.

Por G1
Valor por litro caiu de R$ 4,197 para R$ 4,173  — Foto: Marcelo Brandt/G1
Valor por litro caiu de R$ 4,197 para R$ 4,173 — Foto: Marcelo Brandt/G1


O preço médio da gasolina nas bombas recuou pela 17ª vez seguida, segundo levantamento semanal divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira (15). O valor por litro caiu 0,6%, de R$ 4,197 para R$ 4,173.

Com mais um recuo, o preço da gasolina atingiu o menor valor desde 6 de janeiro do ano passado (R$ 4,151).

A ANP também apurou uma leve queda no preço do diesel. O valor médio por litro recuou 0,1%, de R$ 3,444 para R$ 3,442.

Já o preço por litro do etanol caiu 0,5% no período, de R$ 2,758 para R$ 2,744.
Preços dos combustíveis nos postos
Evolução do valor por litro, na média nacional

Evolução do valor por litro, na média nacional
em R$gasolinadieseletanol22/4/1720/5/1717/6/1715/7/1712/8/178/9/177/10/173/11/172/12/1730/12/1727/1/1824/2/1823/3/1821/4/1819/5/1816/6/1816/7/1811/8/188/9/186/10/183/11/1801/12/1829/12/1826/1/1922,533,544,55
3/6/17
 etanol: 2,536
Fonte: ANP
O valor representa uma média calculada pela ANP com dados coletados em diversos postos. Os preços, então, podem variar de acordo com a região.

Preços nas refinarias

Nesta sexta-feira, a Petrobras elevou o preço médio da gasolina nas refinarias em 2,29%. Com isso, o valor do litro da gasolina passou de R$ 1,5232 para R$ 1,5581. Já em relação ao diesel, a estatal manteve o preço médio do litro em R$ 2,0005.
O preço da gasolina não sofre queda desde 2 de fevereiro, quando foi reduzido de R$ 1,4907 para R$ 1,4758.

No ano passado, o governo anunciou o fim do programa de subvenção do diesel instituído pela União, que havia sido criado pelo governo após a greve dos caminhoneiros, no fim de maio. Uma das principais reivindicações da categoria era a redução no preço do combustível.

COM TRÊS HORAS DE SUCESSOS, CANTOR CLEY LUNNA SE DESPEDE DO AP COM SHOW 'DIZ QUE FUI POR AÍ'

Apresentação com samba, MPB e músicas da Amazônia acontece no sábado (16), a partir das 20h, no Museu Sacaca.

Por Carlos Alberto Jr, G1 AP — Macapá

Cley Lunna vai apresentar show 'Sinal' com convidados de SP, RJ e do AP — Foto: Divulgação/Cley Lunna

Com um show de quase três horas, o cantor Cley Lunna aposta em um ambiente intimista para se despedir do Amapá. O show "Diz Que Fui Por Aí" está marcado para o sábado (16), a partir das 20h, na praça de alimentação do Museu Sacaca, localizado na Zona Central de Macapá.

Com apenas 20 mesas disponíveis, o show foi planejado para atender um público menor, para que a despedida do cantor, que irá para Portugal, tenha um clima familiar.

"O local [Museu Sacaca] é um dos principais símbolos do Amapá e o show terá apenas 20 mesas disponíveis, ou seja, tem tudo para que esse grande show de despedida tenha um clima de amigos próximos e de família", contou.

O músico, conhecido pelas referências no MPB, também aposta no samba e em linguagens musicais da Amazônia. Entre as canções que não faltarão no repertório terá "Pérola", cantor Zé Miguel, "Que Nem Maré", de Jorge Vercillo, "Diz Que Fui Por Aí", canção de Luiz Melodia, que dá nome ao show. Além de autorais, como "Clara".

Cley Lunna mora em Santana, município a 17 quilômetros da capital, e tem 18 anos de carreira cantando em bares do Amapá e se apresentando em festivais pelo país.

Deixando um clima de suspense para a apresentação, o show contará com participações especiais, mas o cantor quer fazer surpresa para o público.

Aos interessados, o valor das mesas para quatro pessoas custa R$ 20 e as reservas devem ser feitas diretamente com a produção do show. Além da mesa, cada reserva tem direito ao CD "Sinal" do cantor.

Serviço
Show Sinal
Dia: 16 de fevereiro (sábado)
Local: Museu Sacaca (na Avenida Feliciano Coelho, nº 1509, bairro Trem)
Hora: a partir das 20h
Mesas para quatro pessoas: R$ 20
Reservas de mesas e informações: (96) 98101-4446