Seguidores

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

JOÃO AMOÊDO JÁ BATE MARINA E ALCKMIM EM PESQUISAS ELEITORAIS


João Amoêdo já bate Marina e Alckmin em pesquisas eleitorais



O candidato do NOVO, João Amoêdo, enfrenta dois grandes obstáculos, de acordo com os dados da pesquisa CNT/MDA divulgada hoje (17): desconhecimento e rejeição entre aqueles que o conhecem. Apesar disso, o candidato cresceu nas últimas simulações, chegando a 2,8% na pesquisa estimulada e indo de 0,8% a 1,8% na pesquisa espontânea, batendo Marina Silva, da REDE. Ela ficou com 4,1% e 1,7%, respectivamente.

Faltando poucas semanas para o primeiro turno, 47,6% dos eleitores afirmam não o conhecer. É um avanço em relação à ultima pesquisa da agência, na qual o candidato não figurava devido à porcentagem baixa de intenção de votos; o segundo problema é que, apesar da sua taxa de rejeição geral ser baixa (34,5%), ela é elevada quando filtra apenas eleitores que o conhecem. Isso significa que, além de ser desconhecido por 47,6% dos eleitores, ele é rejeitado por 65,8% dos eleitores que de fato o conhecem.

Já considerando a pesquisa BTG Pactual, o cenário muda um pouco, com Amoêdo batendo por 3% a 2% não só Marina mas também Geraldo Alckmin no questionamento espontâneo.

Em termos de rejeição, o levantamento de dados inclui candidatos como João Goulart Filho, Vera Lúcia e Guilherme Boulos: neste caso, Amoêdo fica em quarto na lista de mais desconhecidos, sendo um completo estranho para “apenas” 49% dos eleitores.

A pesquisa do BTG também coloca Amoêdo como o candidato com menor índice de rejeição. No caso da pesquisa CNT/MDA, o candidato do NOVO figurava como segundo candidato menos rejeitado justamente por ser o mais desconhecido. Como a pesquisa do BTG não filtrou as respostas entre eleitores que conheciam o candidato, não dá para saber se Amoêdo é mais rejeitado entre conhecedores também.

Na pesquisa divulgada na íntegra hoje pelo Datafolha, Amoêdo se mantém estável e figura atrás de Geraldo e Marina, tanto na intenção de voto simulada quanto na espontânea. Além disso, sua taxa de rejeição continuou em 15%, fazendo dele o segundo candidato menos rejeitado (o primeiro é João Goulart Filho, com 14%).

Fonte: Money Times

Nenhum comentário: