Seguidores

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

ANGICOS: MPRN CONDENA QUATRO ACUSADOS NO TRIBUNAL DO JURI, DOIS PELA PRÁTICA DE HOMICÍDIO

Pena de três dos condenados terá cumprimento inicial em regime fechado

Imagem relacionada

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da Promotoria de Justiça de Angicos, conseguiu no Tribunal do Júri da comarca a condenação de quatro acusados. Dois pela prática de homicídio, sendo um homicídio no trânsito, e outras duas por tentativa de homicídio.

Vital Gomes da Silva foi condenado a nove anos de reclusão pelo assassinato do professor Aurélio Barbalho Cavalcanti. A vítima foi atingida pelo veículo dirigido pelo acusado que, embriagado, dirigia seu veículo na contramão em local de faixa contínua. Na mesma ocasião, o acusado lesionou outras três pessoas, sendo uma de natureza leve e duas de natureza grave.

João Francisco de Souza foi condenado a mais de 17 anos de reclusão em regime fechado, por homicídio qualificado. No dia 9 de novembro de 2015, o condenado desferiu um golpe fatal com o cabo de uma chibanca na cabeça da idosa Terezinha Gomes da Silva, sua ex-sogra.

José Ricardo Dantas foi condenado a 12 anos de prisão pela tentativa de homicídio de Wallas Carvalho de Lemos. No dia 7 de abril de 2012, o condenado agrediu de surpresa a vítima com golpes de faca peixeira nas costas, ocasionando ainda a queda de criança de colo que estava nos braços da vítima. Venceu a tese do MPRN de que o homicídio só não foi concretizado por motivos alheios à vontade do acusado.

Nessas três condenações, o Juízo da comarca de Angicos determinou a execução provisória das sentenças penais seguindo entendimento do Supremo Tribunal Federal.

Por último, Rosivan Carvalho de Lemos foi condenado a cinco anos e meio de reclusão. No dia 4 de outubro de 2014, ele apareceu repentinamente no caminho da vítima Moacir Antonio da Rocha Filho e contra ela desferiu três facadas, sendo uma destas nas costas, nas proximidades do pulmão. A vítima só não veio a óbito porque as facadas não atingiram órgãos vitais. A pena será cumprida no regime semiaberto e o condenado terá o direito de recorrer em liberdade.

MPRN

Nenhum comentário: